Livros e Capítulos

PEREIRA, MARCIO GIANNINI, FREITAS, M. A. V., SILVA, NEÍLTON F. Políticas Públicas de Eletrificação Rural - Na Superação da pobreza Energética Brasileira. Rio de Janeiro : Synergia, 2012, v.1. p.249. Acesse.

FREITAS, M. A. V., CAVALCANTI, B. S., MORAES, M., ROSA, Luiz Pinguelli, da Silva, A. G., FRANZ, B., MICELI, B. S., SANTOS, C. M., PIMENTEIRA, Cícero A. P., SILVA, C., BARCELLOS, Christovam, Pereira, E. P., LOPES, F. C., FURTADO, G. S., SOITO, J. L. S., SENA, J. A., Besser de Deus, SANTOS, L. H. R., PAZ, Luciana Rocha Leal da, RODRIGUES, L. R., MUYLAERT, Maria Silvia. Atlas Soci-Água. Rio de Janeiro - RJ : Synergia, 2011, v.1. p.209. Acesse.

VILLELA, A. A., SILVA, NEILTON FIDELIS DA, PIMENTEIRA, CÍCERO A. P., MARQUES, L. G., SANTOS, A. M., FREITAS, MARCOS AURÉLIO V. Biodiesel e Mudanças Climáticas - Interfaces e potencialidades In: Fontes Alternativas de Energia Nova e Renovável.1a. ed.Rio de Janeiro : LTC Editora, 2013, p. 75-102. Acesse.

O IVIG participou ativamente do Relatório Especial do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) sobre "Energias Renováveis e Mudanças Climáticas", lançado em 2012. Com destaque para o Capitulo V de Hydropower e Cap. II Bioenergy. Acesse aqui.
 

Coleção Mudanças Globais - vol 1 . Vulnerabilidade dos Recursos Hídricos no Âmbito Regional e Urbano. Autores: Riane Nunes; Marcos Freitas e Luiz Pinguelli Rosa. O primeiro volume da coleção traz uma abordagem multidisciplinar sobre a vulnerabilidade dos recursos hídricos em diferentes unidades espaciais de análise: região e bacia hidrográfica, município e edificação. Sob óticas distintas, os autores relacionam questões ambientais de poluição, erosão e desastres naturais (inundação, seca e deslizamento) a temas atuais como: variabilidade e mudança climática; vulnerabilidade das bacias hidrográficas no meio rural e urbano; técnicas alternativas de captação da água de chuva e geotecnologias para subsidiar a gestão urbana e o planejamento ambiental. Outras informações.

 

Coleção Mudanças Globais - vol. 2. Emissões de Carbono na mudança de uso do solo. Autores: Alberto Villela, Marcos Freitas e Luiz Pinguelli Rosa. O segundo volume trata das emissões de carbono por conta da mudança de ocupação e uso da terra. Este tema é particularmente relevante para o Brasil, visto que, ao contrário do resto do mundo, no qual o setor energético possui maior destaque, no caso brasileiro os avanços das atividades nas áreas verdes constitui-se na principal fonte antropogênica de emissões de gases de efeito estufa. Este fato foi confirmado pela Segunda Comunicação Nacional do Brasil à Convenção - Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima. Outras informações.

Coleção Mudanças Globais – vol. 3. Vulnerabilidade e ações de adaptação dos recursos hídricos às mudanças climáticas no Brasil. Autores: Marta F. Ribeiro, Marcos Freitas e Luiz Pinguelli Rosa. O terceiro volume da coleção traz contribuições de estudos desenvolvidos em escalas espaciais que abrangem o território nacional e bacias hidrográficas regionais e estaduais. A partir de diferentes perspectivas, os autores relacionam as alterações climáticas com: modificações no regime e na disponibilidade hídrica de bacias hidrográficas, com destaque para o seu aproveitamento energético riscos ambientais a eventos extremos e gestão das áreas vulneráveis impactos ambientais ocasionados pela transposição de rio fragmentação florestal e mudanças hidrodinâmicas e pluvioerosivas. Outras informações.

Coleção Mudanças Globais - vol 4.  O Uso de Energia da Biomassa no Brasil. Autores: Alberto Villela, Marcos Freitas e Luiz Pinguelli Rosa. O quarto volume da coleção trata do uso de biomassa para fins energéticos no contexto brasileiro. A biomassa é a segunda fonte mais importante de energia primária do Brasil e a principal fonte de energia renovável em nosso país e no mundo. Dadas as condições privilegiadas do país, no que toca à abundância de terras subutilizadas, sol e água, a biomassa, em suas diversas manifestações, apresenta um grande potencial de crescimentoemquase todas as regiões do Brasil. Referência mundial no tocante ao uso de bioenergia, o aproveitamento desta fonte energética pelo Brasil tem repercussões mundiais, daí a responsabilidade do país em efetuar as escolhas corretas, somente possível com continuada pesquisa e desenvolvimento tecnológico. Outras informações.