Biodiesel

Quando o assunto é biodiesel no Brasil, o IVIG traz a marca do pioneirismo. Desde 1999, o Instituto trabalha no desenvolvimento de tecnologias para este tipo de combustível. As pesquisas serviram de referência para o Governo Federal lançar projetos mais ousados e definir uma linha de ação para este segmento de energia renovável. O maior exemplo é o B5, disponível nas bombas dos postos de gasolina de todo o país desde 2010. O programa adicionou 5% de biodiesel ao diesel nacional para garantir mais qualidade ao produto. O projeto faz parte do Plano Nacional de Produção e Uso de Biocombustíveis (PNPB), criado em 2004, a partir de uma ação interministerial com foco no desenvolvimento do mercado de biodiesel no país. As pesquisas realizadas dentro do IVIG desde o início da década foram fundamentais para o lançamento de algumas das principais diretrizes do PNPB. 

O IVIG tem pesquisado a implementação sustentável do uso de biodiesel como combustível e a grande oportunidade deste tipo de projeto é o desenvolvimento de parcerias multi-setoriais, integrando Universidade, Poder Público e Iniciativa Privada sendo que em cada uma destas esferas vem sendo aprimoradas parcerias para trabalho. Na Universidade, estão envolvidos o Programa de Engenharia de Produção (PEP), Programa de Engenharia Química (PEQ), o Laboratório de Máquinas Térmicas (LMT), o Programa de Engenharia de Transporte (PET), o Programa de Engenharia Mecânica (PEM), o Programa de Planejamento Energético (PPE), Instituto de Química da UFRJ (IQ), Escola de Química (EQ-UFRJ), coordenados pelo IVIG.